top of page

Dra. Barbara R. Lerner

Entrevista cedida pela Dra. Barbara R. Lerner

APAN - Quais os motivos a levaram a escolher esta profissão: nutricionista?

Era um curso novo, que se mostrava promissor. Minha escolha profissional era na área de biologia ou outras profissões ligada à área médica. Existia a condição, junto aos meus pais, de que se eu não gostasse, procuraria outro curso. Gostei e fiquei.


APAN - Qual (ais) sua(s) área de atuação e quais as mudanças mais significativas que pode perceber no decorrer dos anos?

Minha área de atuação principal foi em pesquisa em Saúde Pública. Iniciei com pesquisa na firma "Aji-no-moto do Brasil", mas depois de um ano e meio prestei concurso para a Secretaria de Estado de Saúde, onde me aposentei. As principais mudanças foram relativas à valorização do Profissional, que antes não era reconhecido. Hoje o público sabe o que faz um Nutricionista. Quando eu me formei em muitos lugares éramos tachadas de "Cozinheiras de luxo". Hoje ter a orientação de um Nutricionista é reconhecido como um privilégio.


APAN - Para a senhora até onde a ciência da nutrição pode chegar?

Não vejo limites na área. As pesquisas não vêm limite em qualquer área ligada à Ciência da Alimentação e Nutrição. Desenvolvimento de novos alimentos, alimentos que veiculam moléculas de medicamentos ou de vacinas, personalização de alimentos, conhecimento da atuação de nutrientes. Todos os dias aparecem novidades na área e cabe a nós adaptar as novidades ao dia a dia dos indivíduos para proporcionar a melhor qualidade de vida possível.


APAN - Em 1969 o curso nutrição da USP passou a ter duração de 3 anos e algumas mudanças foram realizadas na grade curricular. A senhora se formou na turma de 69 e hoje é docente do curso de Graduação em Nutrição, em sua opinião, quais as mudanças mais significativas na grade curricular?

Tenho o Doutorado pela USP, mas não sou docente do curso de Nutrição. Dei algumas aulas como professora convidada. A grade curricular sofreu enormes transformações e acredito que graças a essas mudanças os profissionais de hoje já saem do curso com conhecimento sobre áreas de atuação que não passavam em nossas cabeças, enquanto estudantes na década de 1960. Mostrar espaço na área de marketing, gastronomia, e outras áreas desligadas da Saúde, acho que foi um passo significativo


APAN - Como coordenadora de pesquisa do Instituto de Saúde e autora de muitos artigos científicos, como está a produção científica na área de nutrição em São Paulo? Qual sua importância?

Fui coordenadora do Núcleo até, o ano 2000, quando me aposentei. Continuo acompanhado os avanços da área, mas não tenho, agora, elementos para avaliar a produção científica atual, uma vez que me afastei desta área específica.

(Repost de publicação)



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page